quarta-feira, 28 de março de 2012

Quarta da Certificação: Quais são as Certificações Linux existentes no mercado hoje?

No intuito de centralizar as informações e agilizar a busca por conteúdo de qualidade resolvemos utilizar cada dia da semana para um estilo especial de artigo, e o de 4º Feiras é certificação.
Nessa material contribuição do pessoal do VIVAoLINUX uma matéria sobre o que é quais são as Certificações Linux existentes no mercado.
O mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e exigente. E para que um profissional ganhe destaque e projeção, treinamento constante e especialização são palavras fundamentais tanto na hora de procurar um emprego como no momento de pedir uma promoção.
No mundo da tecnologia não é diferente, muito menos no universo dos sistemas abertos. O mercado Linux é conhecido pelo pequeno número de profissionais especializados e como a disseminação do sistema open source nas empresas brasileiras é cada vez maior, a procura por funcionários com capacitação cresce. Mas a escassez de profissionais não significa uma diminuição na exigência das corporações.
Para comprovar sua capacidade, os títulos de certificação Linux são fundamentais para o profissional que pretende garantir seu espaço. Até poucos anos alguém que quisesse adquirir um título especialista em Linux enfrentava enormes dificuldades. Essa realidade já é bem diferente nos dias atuais.
As empresas procuram algum título nas pessoas e se o profissional chega e diz que é certificado Linux, a sua empregabilidade aumenta.
Sentindo a falta de certificações, algumas empresas decidiram criar seus próprios treinamentos e provas.
Seja qual for a sua certificação preferida, tenha sempre em mente que será necessário conhecimento completo do sistema. Mas se você pretende se tornar um profissional completo com destaque, não pode ficar sem o seu certificado.
A seguir apresentarei as principais certificações Linux existentes no Brasil e no mundo. Leia e prepare-se para as provas.

Certificação Conectiva

Apesar dessa certificação e a empresa brasileira já terem acabado devido a fusão entre Conectiva e a francesaMandrake, criando-se a Mandriva, assunto que será abordado mais a frente, estarei fazendo uma breve menção a umas das certificações mais importantes do mundo livre na época em que existia a Conectiva.
A certificação da Conectiva surgiu em 1998 quando a empresa começou a se sentir pressionada por parceiros em função da falta de um programa nessa área.A empresa possuía na época centros de treinamento credenciados que preparavam o aluno para obter a certificação. Eram no total 27 centros de treinamentos que podiam ser vistos no próprio site da Conectiva.
No entanto o candidato que já tivesse conhecimento que julgasse suficiente para obter a certificação não precisava fazer obrigatoriamente o treinamento preparatório, bastava se inscrever e realizar a prova.
Os exames da certificação possuíam entre 60 e 80 questões aplicadas nos próprios centros de treinamentos e custavam na época R$ 90,00.
A prova também era feita via Internet e o resultado saia imediatamente após o término.
A maioria das questões envolvia administração do sistema, mas não ligado exclusivamente ao sistema Conectiva.Atualmente há mais de dois mil profissionais no país com a já extinta certificação Conectiva, que na época precisava ser renovada anualmente.
A empresa foi uma das pioneiras em programa de treinamento e certificação, mas após o surgimento e amplo do LPI, os dois programas de treinamento firmaram um convênio de parceria. Com isso a certificação Conectiva equivalia à primeira prova do LPI.

Certificação RED HAT

O programa de certificação da Red Hat é um dos mais importantes do mundo. Era também um dos mais difíceis para os brasileiros obterem, e isso não estava apenas relacionado ao grau de exigência das provas.
O principal problema antigamente para ser ter um certificado Red Hat era que a Red Hat não tinha nenhum programa de treinamento no Brasil, isso em 2001, mas felizmente esse quadro mudou e agora a Red Hat tem vários centros de treinamentos “esparramados” pelo país. Foi-se tempo em que um profissional que pretendia obter um título de conhecimento do sistema da empresa teria que se deslocar até os Estados Unidos para realizar os exames. O alto custo era um dos maiores empecilhos.
Mesmo agora sendo realizadas no Brasil, as provas da Red Hat são umas das mais caras, US$ 1,250.00 + impostos (R$ 3.500,00), sendo que existem duas cerificações, a RHCT (Red Hat Certified Technition) e o RHCE (Red Hat Certified Enginiering), essa última a mais importante.
Mas os profissionais que passaram pelos exames garantem que o investimento compensa. Apenas pelo reconhecimento já vale a pena.
A prova para se obter o certificado RHCE é composta por três etapas: na primeira delas a máquina é iniciada com algum problema e o candidato tem de consertá-lo sem reinstalar o sistema. Resolvido o problema, há 50 questões esperando em forma de testes. A terceira e última etapa do exame é a criação de servidores. Alguém se habilita?
Mais informações acessem o:

Certificação Mandriva

Com o fim da Conectiva para o surgimento da Mandriva, notícia que todos já estão “cansados” de saber, a Mandriva resolveu dar continuidade ao projeto de certificação da antiga Conectiva, que agora chama-se Certificação Mandriva Conectiva.
A Mandriva continua com a mesma metodologia utilizada nos tempos de Conectiva, ou seja, os testes para certificação são divididos em dois assuntos: Administração de Sistemas e Administração de Redes.
O administrador de sistemas para obter o título Mandriva Conectiva Certified Linux Systems deverá passar por um exame de 50 questões num tempo de 90 minutos e terá que acertar 70% da prova para receber o certificado, que tem a validade de dois anos.
Já o certificado de Administrador de Redes Linux será nos mesmos moldes da prova de Administrador de Sistemas: 50 questões e 70% de acertos estará decretado a posse da Certificação Administrador de Redes Mandriva.
Mais informações sobre essa certificação, acessem:

Certificação LPI

Deixei a Certificação LPI por último de propósito, por se tratar da certificação mais importante e mais almejada pelo público Linux.
Com sede no Canadá e reconhecido mundialmente como um dos principais programas de certificação Linux, o LPI (Linux Professional Institute) chegou ao Brasil apenas no final de 2003. Desde então cerca de 600 pessoas já realizavam as provas no país, mas apenas 47% delas conseguiam obter a certificação. Mas os brasileiros têm metas ambiciosas, a intenção é superar o Japão, atualmente em primeiro lugar no ranking de certificações emitidas.

Por ser considerada uma prova genérica, ou seja, que não tem foco em nenhuma distribuição em especial, o LPI ganhou destaque para avaliar o conhecimento do profissional em relação ao Linux como um todo e grandes empresas do mundo open source estão voltadas para apoiar o programa.
Após ter comprado a SuSE Linux em janeiro de 2004, a Novell anunciou diversos programas de treinamento, tanto para seus clientes como para o público em geral, no entanto a empresa decidiu por criar cursos próprios, mas preparatórios para os exames do LPI. Ou seja, quem fizer o treinamento Novell receberá um certificado LPI, mas também há um um módulo extra voltado às soluções Novell para ambientes Linux.
Para realizar a prova o candidato deve se inscrever no próprio site do LPI. O aluno deverá ficar atento aos calendários e locais onde as provas serão realizadas.
Existem três níveis de certificação emitidos pelo o LPI. O primeiro deles é voltado a administradores júnior, enquanto o segundo é para profissionais avançados e o terceiro tendo como foco principal a segurança do sistema. A certificação LPI tem duração de dez anos, muito em conta em relação as demais.
Mais informações sobre certificações LPI acessem:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e opine a respeito

Postar um comentário